Karl Lagerfeld: a alma do mundo Chanel

Karl Lagerfeld, um dos mais emblemáticos designers no mundo da moda, morreu, esta terça-feira, aos 85 anos. E a passerelle da vida ficou muito mais pobre!

“Eu sou como uma caricatura de mim mesmo, e gosto disso. É como uma máscara. E para mim o Carnaval de Veneza dura o ano todo”. Esta é apenas umas das frases icónicas do criador de moda Karl Lagerfeld que entraram na história e que o rotularam muitas vezes como “génio provocador”.

Nascido em Hamburgo, Alemanha, a 10 de setembro de 1933, Lagerfeld despediu-se da vida aos 85 anos, na passada terça-feira, 19 de fevereiro, no Hospital Americano de Paris, cidade que o acolheu desde os seus 16 anos.

A moda sempre foi a sua casa, a sua morada. Nunca pensou em ser mais nada. Respirava moda… e fazia da vida uma imensa passerelle criativa. Em 1955, iniciou a sua carreira como assistente de Pierre Balmain e em 1965 juntou-se à Fendi, mas só atingiu o auge do seu talento quando vestiu o papel de diretor artístico da Chanel. Houve quem dissesse que Lagerfeld vinha ressuscitar a casa de alta-costura francesa, mas Kaiser – como também era apelidado – rematava: “O meu trabalho não é fazer a Chanel sobreviver, o meu papel é mantê-la viva”.

Dizia que trabalhava 16 horas por dia e era feliz por o fazer. Ficou 36 anos a servir a Chanel, com rasgos criativos, inspirados na forma como via a vida: “Não se vista para matar, vista-se para sobreviver”.

Óculos escuros, cabelo impecavelmente branco e penteado num rabo de cavalo adornado com um laço de veludo, camisa branca, diversos anéis, Karl assinava assim a sua imagem de marca, feita de elegância, de uma aparência irrepreensível: “O luxo é a liberdade de espírito, a independência, resumindo, o politicamente incorreto”.

Agora, a continuar o seu legado na tão emblemática marca Chanel, fica Virgine Viard, uma das pessoas mais próximas do designer. A marca afirma em comunicado que esta decisão “tem a confiança de Alain Wetheimer (co-proprietário da Chanel) para criar as coleções, para continuarmos a viver o legado de Gabrielle Chanel e Karl Lagerfeld”.

Poliglota, leitor voraz, Karl dizia de si ser “um improviso total”.  O mundo acabou de perder o génio do improviso nesta passerelle que é a vida. Recorde-o através destas duas grandes obras que mostram o quão talentoso e intemporal é o trabalho do “génio provocador”. Encontre-as na Fnac.

"Paris Photo", 23,40€
“Paris Photo”, 23,40€
Livros Coleção Chanel, 66,30€
Livros Coleção Chanel, 66,30€
Categorias
Moda
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço